quarta-feira, 4 de abril de 2007

reiterando...

...existe essa coisa simples, antiga e quase esquecida pela possibilidade infinita de se distrair com as mentiras modernas do mundo. existe o amor, mas onde ele foi parar depois de tudo isso? eu não tenho um portão para te esperar, como minha avó um dia esperou pelo meu avô e eles ficaram juntos por 70 anos. talvez eu também seja engolida por esse mundo que cria tantas facilidades para a gente não sofrer. tenho medo de que tudo seja uma mentira e de verdade sinto que é, mas ainda acordo feliz todos os dias esperando que ao menos você seja verdade.

[tati bernardi- eu só queria um namorinho de portão]

amo você com toda a pieguisse que um amor pode comportar e com todo o sentimento que reside nessa mesma pieguisse.
by anne.

Um comentário:

Juliana Camila disse...

bem lindo esse e os outros textos. agora que vc me liberou eu volto mais vezes tá.
beijosss